Quando compramos um produto escolhemos investir nosso dinheiro em dois fatores principais, o primeiro é o produto e o segundo a marca estampada neste produto. 

Dessa forma o valor tende a aumentar excepcionalmente de acordo com o emblema estampado nele, pois ao utilizar tal produto não carregamos apenas mais um acessório e sim todo um estilo de vida que aquela marca transmite. 

Isso porque a marca possui um estilo próprio que é fácil de ser reconhecido, esta identidade gerada pela marca é chamada de Branding.

Hoje em dia não basta vender só um produto, é necessário vender uma ideia e um conceito. Dessa forma, empresas se preocupam cada vez mais em fortalecer suas identidades perante o público aumentando a influência de seus nomes em meio ao mercado. 

Como é o caso da Vans que construiu sua história pautada na individualidade e excentricidade do seu público, “off the wall” (gíria em inglês para indicar algo excêntrico), além de adicionar características como esportes radicais ao seu branding. Dessa forma a empresa fortalece seu nome e ganha espaço no mercado ao aumentar o valor de sua marca.

Um bom Branding é importante para toda marca que pretende consolidar seu nome e criar uma boa relação com seu público. Para isso separamos algumas dicas para te ajudar a fortalecer sua identidade e aumentar o reconhecimento dela, fazendo dela a primeira a ser lembrada dentro de sua área.

1. Reconheça o seu espaço no mercado:

 Realize uma pesquisa para entender quem são seus concorrentes e quais são as marcas “top of mind” do mercado. Ao descobrir contra quem você está disputando e qual nicho seu principal concorrente abrange, você pode direcionar seus esforços para suprir os espaços que não estão sendo ocupados pela concorrência. 

Dessa forma, o público não se reconhece na marca de seu adversário, assim, passa a encontrar na sua marca um lugar na qual possa se sentir representado, como por exemplo o MC Donalds e o Burguer King.

 O McDonalds se caracteriza por lidar com um público envolto em características que remetem a família, como crianças, pais e mães; Por isso dentro de suas lojas encontramos os “McLanches Felizes” que trazem brindes para as crianças. O fast-food conta também com seu mascote sendo um palhaço, capaz de trazer alegria para as famílias. 

Enquanto isso o Burguer King percebeu a lacuna que seu principal concorrente deixava – eles não conversavam com os jovens – com isso em mente, voltaram toda sua estratégia de comunicação para este público, trazendo em suas propagandas, ações e promoções, assuntos de interesse para esta parcela da população.

2. Associe o nome da empresa ao nome do criador: 

Se você está iniciando seu negócio agora e não possui sua marca bem consolidada, você pode utilizar do seu próprio nome para associar o indivíduo a marca. Como é o caso de Mark Zuckemberg, Steeve Jobs e Bill Gates, que possuem seus nomes intimamente ligados a sua empresa. 

Dessa forma trabalhamos com duas frentes de Branding, o pessoal e o da marca, assim conseguimos estabelecer uma ponte entre as qualidades do indivíduo e as características da organização.

 Quando pensamos na Disney lembramos de duas figuras principais, Walt Disney e sua principal criação Mickey Mouse. Dessa forma, Walter Elias Disney foi o próprio embaixador da empresa em seus primeiros anos. Ao falecer a marca em 1966, transferiu sua imagem para a de seu principal símbolo. 

Assim, cria-se uma cultura de que quem comanda a Organização é o Mickey Mouse, quando outras empresas fazem negócios com a Disney, elas estão fazendo negócios não apenas com uma marca, mas com uma figura pública. O mesmo acontece com seus funcionários, que não trabalham para alguém e sim para o Mickey. 

Sendo assim quando colocamos uma pessoa a frente desta marca, os consumidores se sentem mais confortáveis. Principalmente no meio online, ao fazerem negócios com a sua empresa, reconhecem que não estão comprando de uma organização mas sim fazendo negócios com uma pessoa.

3. Humanize sua marca:

 Se sua marca fosse uma pessoa, como essa pessoa seria? Existem pessoas que temos mais afinidade pelos valores que ela carrega consigo, pelo modo que ela fala e se comporta. A mesma coisa acontece com as marcas.

 Um estudo feito pela Accenture Strategy, mostrou que 83% dos brasileiros escolhem onde vão comprar, baseado nos valores que tal empresa emprega em sua organização. 

Sendo assim, as marcas se preocupam cada vez mais em exaltar seus valores e sua identidade, gerando maior empatia com o público e conquistando sua fidelidade. Portanto, é importante definir quais são as características da sua empresa e seu comportamento na sociedade, como: tons de voz, assuntos abordados, missão visão valores, etc.

Essas definições precisam estar alinhadas com todos os colaboradores e ser utilizada em todos os momentos, principalmente nas mídias sociais ao entrar em contato com o público. 

Alguns exemplos são o Magazine Luiza que possui um claro posicionamento ideológico e além de vender seus produtos trabalha por causas sociais, como sua última ação que auxilia mulheres a denunciar violência doméstica. Temos também a Netflix, que possui uma linguagem ousada que é trabalhada em todas as interações com seus públicos, seja eles clientes ou outras empresas.

Share This