Compreendendo os acontecimentos atuais, as mídias sociais tiveram um papel significativo na vida da população, por isso o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) apresentou novas regras para a propaganda eleitoral nessas mídias. 

A principal das diversas regulamentações que se aplicam nas eleições de 2020 é a autorização do impulsionamento de conteúdo nas mídias sociais com controle de gastos em campanhas feitas na internet porém é preciso indicar que o conteúdo é impulsionado ou patrocinado e o serviço de impulsionamento têm que ser contratado pelo candidato.

Na pré-campanha será permitido informar o público, participar de lives mas não será permitido pedir voto e nem informar o número da sua campanha, já durante a campanha ficará permitido maior investimento em propagandas e conteúdos impulsionados e também será permitido pedir voto.

Os conteúdos impulsionados feitos durante a campanha deverá ser informado à Justiça Eleitoral e não está permitido o impulsionamento em perfis de pessoas jurídicas, sites oficiais ou páginas de algum órgão público.

Neste ano, o envio de mensagem eletrônico no Whatsapp, Telegram e E-mail está permitidos mas apenas para o eleitor que se cadastrar. As mensagens enviadas para pessoas que não demonstraram interesse pode ocasionar em multa para o candidato e o uso de robôs ou perfis falsos também estão proibidos.

No dia da eleição nenhuma publicação pode ser feita, caso contrário será configurado “boca de urna” que é crime eleitoral.

Entendeu a importância das mídias para sua campanhas? Confira esse conteúdo: e-book eleitoral

Share This